Política

Jornalista é agredido por político do interior; atitude deve ser apurada pelo Sindicato dos Jornalistas

28 de fevereiro de 2024

A Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) lançou em janeiro deste ano o Relatório Anual de Violência Contra Jornalistas e Liberdade de Imprensa no Brasil. O levantamento aponta uma queda de 51,86% no número de casos entre os anos de 2022 e 2023. No entanto, com 181 agressões a jornalistas e ataques à liberdade de imprensa registrados, a realidade enfrentada por estes profissionais ainda apresenta desafios.

Samira de Castro, presidente da Fenaj, explica:

“De fato, pelos nossos indicadores, houve uma redução no número de episódios de violência contra jornalistas no Brasil em 2023, mas não significa que estamos em um ambiente seguro para o exercício da profissão. Essa redução no ano passado, na comparação com 2022, se dá pela queda da categoria “descredibilização da imprensa”, que foi inaugurada por Jair Bolsonaro e reduziu significativamente após a saída dele da Presidência da República. Além disso, caíram os casos de ‘censura’ que contabilizávamos pelo Dossiê de Censura da Empresa Brasil de Comunicação.”

No Maranhão, o Jornalista Joerdson Rodrigues foi vítima desta violência sofrida por quem opta pela Liberdade de Expressão.

Em um evento que aconteceu nesta segunda-feira (26) no povoado de Canelatiua, em Alcântara, um ato criminoso manchou o lançamento do Termo de Execução Descentralizada do Ministério de Igualdade Racial e o IFMA. O evento contou com a presença da ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, o ministro do Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar, Paulo Texeira, e Jorge Messias da Advocacia-Geral da União.

O ex-vereador de Alcântara, Benedito Barbosa, atacou o jornalista Joerdson Rodrigues (que é negro) durante o evento. Biné se aproximou e desferiu tapas no peito do jornalista, além de proferir ameaças. Joerdson não se deixou abater e questionou o motivo de tal agressão.

O jornalista registrou um Boletim de Ocorrência para fins de direito. Leia tudo clicando aqui.

Assédio judicial se multiplica

Samira de Castro explica que a categoria “cerceamento à liberdade de imprensa por ações judiciais e/ou inquéritos policiais” sofreu um aumento de 13 para 25 casos registrados, um crescimento de 92,31% com relação ao ano anterior ao levantamento.

“Essa situação é muito preocupante porque mostra o uso do Judiciário para calar os jornalistas. E o efeito dessa prática, mais à frente, certamente será a autocensura de profissionais e veículos de mídia porque esse tipo de abuso do poder de litigância tem efeito não só individual, mas coletivo. Os profissionais acabam devastados emocional e financeiramente, tendo de arcar com defesas em supostos crimes contra a honra que, infelizmente, têm apenas o objetivo de impedir a livre circulação da informação jornalística.”

Veja participação de Joerdson no último final de semana no Podcast Pinga Fogo:

author-avatar

Sobre Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog

AQUI