Política

Após ser obrigado a reformar escolas, prefeito do interior mente usando nome de Promotora: ‘ela elogiou bastante a gestão’; ouça áudio

20 de maio de 2022

O mais leigo dos leigos que atuam às margens de uma Administração Pública sabe qual a importância e o limite de atuação do Ministério Público.

Áudio atribuído ao prefeito de Presidente Juscelino, o controverso Dr. Pedro Paulo (PL), mostra que o juscelinense desavisado comprou gato por lebre.

Usando o já enfadonho e retrógado discurso de terra arrasada, tentando colocar a culpa no passado e olhando pelo retrovisor, Pedro pode ter cometido uma gafe ao querer arrolar a exímia Promotora de Justiça Dra. Érica Ellen à sua incompetência. Segundo o áudio que o cara leitor pode conferir abaixo, o prefeito – que é extremamente personalista e ludibrioso -, afirma que foi chamado no Ministério Público, juntamente com sua ex-atual esposa e secretária de educação, a malhadora Thamiris Rabelo, para receberem elogios por parte da representante do órgão que combate a corrupção.

Ora, caríssimo leitor, até parece que Promotor de Justiça se prestaria a este papel, ainda mais quando teve que usar de um Termo de Ajustação de Conduta para que cobrasse, em tempo hábil, a reforma de 9 escolas – que estão em um “reparo” interminável com empresa suspeita – que se encontram sem aula enquanto a primeira-dama ostenta uma vida de luxo em São Luís, sem fazer questão de esconder do povo de Presidente Juscelino.

O TAC, ou termo de ajustamento de conduta, é um acordo que o Ministério Público celebra com o violador de determinado direito coletivo. Este instrumento tem a finalidade de impedir a continuidade da situação de ilegalidade, reparar o dano ao direito coletivo e evitar a ação judicial. No caso em tela, o direito coletivo é o de volta às aulas em breve. O MP estabeleceu prazos para que a reforma das escolas sejam concluídas, conforme documento abaixo.

Dentre elas a principal é a de fiscalização dos atos do Poder Executivo, fazendo um paralelo com o Poder Legislativo com a prerrogativa de ter consigo a legitimidade para propor ações judiciais (civil publica, improbidade, etc.).

Os mesmos leigos sabem que ao MP não cabe o papel de “elogiar”, muito menos, o de “futricar”. Explica-se: Tentando se justificar com seu eleitorado arrependido, o criativo Pedro resolveu criar mais duas funções ao MP de Morros e o pior, utilizando o nome de uma das mais combativas Promotoras do Estado do Maranhão, o que não deve passar a brancas nuvens.

“Deveria pelo menos ter vergonha na cara de parar de falar mentira”, diz o áudio associado a Pedro na tentativa de atacar um eleitor que alerta sobre a necessidade das escolas estarem funcionando.

Ou seja, para Dr. Pedro, o correto é continuar mentindo para o povo da cidade que acolheu os forasteiros.

EM TEMPO

Em nenhum momento, o documento faz referência ao ex-prefeito José Magno, como tenta fazer “colar” o atrapalhado atual gestor.

Ouça com atenção e veja os documentos:

Comentários

Comentários

author-avatar

Sobre Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog