“Até quando vamos conviver com essa falta de segurança?”, por Wellington do Curso*

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

Onda de violência assola São Luís.

Desde 2009, a região metropolitana de São Luís vem sofrendo uma onda de violência crescente. De lá para cá, já foram registrados mais de 4 mil assassinatos.

10423980_631408370301238_316848496609717927_n (1)
Na foto, guardo as lembranças das panfletagens durante a campanha e tambem quando voltei para agradecer, como deputado eleito, nos bairros Jardim Tropical, Janaina e Cidade Olímpica, pois o Mendonça e sua família me acompanharam de forma carinhosa


Os números desse ano, 914 homicídios, indicam que 2014 será o ano mais violento da história da capital maranhense. Todos esses índices refletem o que a população da grande ilha sente e vivencia em seu cotidiano: insegurança, medo e violência. Essa incapacidade de conter a violência, levou a cidade de São Luís a “subir” para o 15° lugar entre as cidades mais violentas do mundo.

Só no mês de novembro até o dia 14, já foram registrados 64 assassinatos, o que evidencia todo esse cenário de descontrole nas medidas de contenção da violência.

É inadmissível que uma Capital tenha 4 anos consecutivos de violência crescente e descontrolada, como São Luís vive. A sensação diária de cerceamento de direitos, com receio de ser o próximo a ser vitimado, não pode continuar!

Na manhã da ultima sexta-feira, perdi o amigo e irmão Dizidério Rodrigues Mendonça, policial civil, que foi covardemente assassinado, ao reagir a um assalto, quando tentava defender uma vida. Mendonça, como era conhecido, foi meu soldado e meu aluno no curso de cabo no Exército, trabalhou no @cursowellington na sua fundação, foi aluno aplicado e passou no concurso para Investigador da Policia Civil.
É triste ver os nossos irmãos maranhenses tendo que conviver diariamente com a falta de segurança que vem causando efeitos catastróficos contra as vidas dos seres, na maioria das vezes inocentes.


Mais uma vez, que Deus abençoe e conforte a família neste momento de dor.
Ontem eu não sepultei um amigo e sim plantei a esperança de que viveremos dias melhores no nosso estado. E reafirmei o meu compromisso de lutar por segurança. Meu amigo, a sua morte não foi em vão!

 

*Deputado estadual eleito no Maranhão, diretor e fundador do Curso Wellington

Comentários

Comentários