Política

CASO GOLDEN PARK – A verdadeira versão dos fatos…

24 de setembro de 2015

[rescue_highlight color=”gray”]

Inquérito já ouviu oito pessoas no caso Golden Park

A delegada, responsável pelo caso, já ouviu oito pessoas, e pretende ouvir mais até o fim da semana. O brinquedo Polvo ficará em São Luís até que o inquérito seja concluído

Foto: Honório Moreira / O Imparcial.
Honório Moreira / O Imparcial

Mãe e filha cairam do brinquedo Polvo no Golden Park em São Luís

A Polícia Civil do Maranhão continua a investigação para apurar responsabilidade na queda de duas pessoas do brinquedo do Golden Park, do dia 14, em São Luís.

Luzivânia Brito, 39 anos, e a filha Manuelle Brito, 8 anos, foram arremessadas do brinquedo Polvo. A criança ficou com ferimentos leves e recebeu alta no mesmo dia do acidente. Já Luzivânia foi submetida a procedimento cirúrgico, e faleceu na última terça-feira, dia 22, em razão de complicações no quadro de saúde.
A delegada Irla Maria Silva Lima do 1º DP, responsável pelas investigações do caso, já ouviu oito pessoas que são apontadas como responsáveis pelo funcionamento do Golden Park, na capital.
“Instaurei o inquérito logo no dia seguinte ao ocorrido, e solicitei a realização de perícia técnica na máquina. Até o momento, já ouvi oito pessoas, entre os quais, o engenheiro mecânico Luís do Rosário Costa, que assinou a Anotação de Responsabilidade Técnica – ART que disse o brinquedo que está em perfeito estado de uso”, disse Irla Maria.
Já foram ouvidos: o gerente responsável pelo parque, Antonio Cesar Santana; os engenheiros José Ribamar Silva, Luís do Rosário e Ely Gomes; a técnica em Segurança e Meio Ambiente, Aurilene Barros; o técnico em eletromecânica Silvio Murilo; o tenente coronel do CBM-MA, Wellington Soares; assim como o operador do equipamento no dia do sinistro identificado como Anderson.
Foto: Gilson Teixeira / O Imparcial .

Gilson Teixeira / O Imparcial

Delegada Irla Maria

A delegada também informou que ainda vai ouvir outros envolvidos no caso. “Pretendo ouvir mais pessoas inclusive os técnicos que faziam a manutenção diária dos equipamentos do parque, de acordo com as informações passadas pelo gerente Antonio Cesar”.

O inquérito está em curso e aguardando o resultado da perícia realizada pelo Instituto de Criminalística do Maranhão (Icrim-MA). No prazo de 30 dias sai a conclusão do laudo que em seguida será enviado à Justiça. Se for detectado que o brinquedo não tinha condições de uso, os responsáveis pelo parque serão indiciados por dolo eventual.
“Solicitei que o equipamento não saia da cidade até o fim das investigações, pois caso seja necessário, ele poderá ser novamente periciado”, finalizou a delegada.

[/rescue_highlight]

 

O Imparcial

Comentários

Comentários

author-avatar

Sobre Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog