Qual o motivo do ataque sem fundamento a Ester Marques secretária de governo de Flávio Dino?

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

20141111122837375398e
Ester Marques

Quando o neo governador Flávio Dino foi eleito, logo começou a ansiosa espera pelo anuncio do seu secretariado. Dino garantiu, em letras garrafais, que sua equipe seria formada por pessoal técnico e, de fato, isso aconteceu.

Vemos nos últimos dias em blogs mais desavisados a torrente de ataques – — sem nexo – que a neo secretária de cultura do estado do Maranhão, Ester Marques, vem sofrendo, pasmem, de blogs da base aliada do governo estadual.

É um paradoxo. Se formos mais a fundo, podemos constatar que os mandantes do “ataque sem fundamento” estão todo dia, lado a lado com o governador do estado.

O blog vem ouvindo conversa dos bastidores da política e, filtrando as informações, chega-se a conclusão de que estes que tentam – sem sucesso –  desestabilizar certo grupo político só reafirmam o que todos já sabem: A falta de credibilidade que alguns companheiros da imprensa maranhense tem.

Aristóteles definia ciúmes como o desejo de ter o que outra pessoa possui. Era originariamente uma palavra boa e referia-se ao desejo de imitar uma coisa nobre da outra pessoa.  Mais tarde a palavra passou a ser associada com um desejo lascivo daquilo que pertencia a outra pessoa.  Salomão reconheceu a vaidade (inutilidade) desse pecado quando disse:  “Então vi que todo trabalho e toda destreza em obras provêm da inveja do homem contra o seu próximo” (Eclesiastes 4:4).  Tentar “seguir o padrão de vida do vizinho” é um pecado que não somente nos impedirá de ir para o céu, mas também mesmo nesta vida nos tirará a satisfação (Filipenses 4:12-13).

Embora o ciúme simplesmente cobice a riqueza e a honra  dos outros, a inveja é algo que se faz acompanhar de rancor.  A inveja não é necessariamente querer para nós mesmos, mas simplesmente querer que seja tirado do outro.  A inveja é o sentimento de infelicidade produzido por presenciarmos a vantagem ou a prosperidade do outro.  Os invejosos se incomodam com os sucessos dos amigos.

O ciúme e a inveja são sempre seguidos da contenda na igreja (Romanos 13:13; 1 Coríntios 3:3).  Quando nos magoamos por causa daquilo que outros conquistaram, quer financeiramente, quer na reputação, a ambição egoísta nos torna arrogantes contra o nosso irmão (Tiago 3:14).  O ciúme dos coríntios para com os pregadores gerou contenda e divisão (1 Coríntios 3:3-4).  Os irmãos ciumentos estão associados com a contenda, com a ira, com as disputas, as maledicências, a difamação, a arrogância e as perturbações (2 Coríntios 12:20).  O ciúme e a inveja levaram os irmãos de José a querê-lo morto, geraram a rebelião de Coré, levaram Caim a matar Abel, o Sinédrio a matar Jesus e aprisionar os apóstolos.  Muitos hoje e no primeiro século pregam e pregaram a Cristo movidos pela inveja (Filipenses 1:15).  São zelosos pela causa de Cristo, mas esse zelo é motivado pelo desejo de desacreditarem outros irmãos.

A contenda nasce da inveja, da ambição e do desejo de prestígio, de posição e de destaque.  É o espírito que nasce da competição desmedida e ímpia.  A contenda corre solta quando os cristãos odeiam ser superados.  Domina quando o homem se esquece que só o que se humilha pode ser exaltado.  Os irmãos invejosos e competitivos cobrem o seu pecado com debates “consagrados” sobre as palavras e sobre as questões controversas (1 Timóteo 6:4-5).  Que a nossa posição a favor da verdade não seja obscurecida com o motivo pecaminoso da inveja que nos conduz à contenda.

 Veja o perfil de Ester Marques, secretária de cultura do estado do Maranhão. Será se ela não tem competência pra comandar a pasta ou todos esses ataques sem nexo não passam de PERSEGUIÇÃO?!

Ester Marques é professora do Departamento de Comunicação da UFMA, formada em Comunicação, com mestrado em Comunicação e Cultura pela UNB e está concluindo o doutorado em Ciências da Comunicação.

É do Conselho Estadual de Cultura, da Comissão de Análise de Projetos da Lei de Incentivo da Cultura. Coordenou como analista técnica o Plano Estadual de Cultura.

É também produtora cultural e membro da Comissão Maranhense de Folclore. Foi diretora geral do Sesc no Maranhão. Desde 2012, é assessora de Comunicação da UFMA.

Nota do Blog – A verdade virá, eivada de verdades reversas sobre delitos ainda não julgados perpetrados possivelmente por algozes sedentos de cargos…

Finalizando, tem pessoas que querem “mandar” mais que o Governador. Apenas observo…

Comentários

Comentários