Política

Ribamar: tentativa de ‘enforcar’ Dudu Diniz é sabotada; proposta imoral foi negada por maioria, oposição a Julinho

9 de novembro de 2022

 

A vereadora forasteira Lusinalva Oliveira Araujo, a Irmã Nalva, natural de Turiaçu, tentou sem sucesso legislar em causa própria e deu a faca e o queijo para que o Ministério Público apure determinadas condutas vedadas para quem representa o povo. Acompanhada de um grupo de vereadores que batem continência ao ainda prefeito de S J Ribamar, Dr. Julinho (PL) – tudo orquestrado pela afilhada do prefeito e ainda presidente da Câmara, Francimar (PL) – Irmã mostrou que tem um certo apego ao vil metal ao defender um upgrade na verba de gabinete.

O jetom, se aprovado fosse pelo Plenário, ia gerar uma onerosidade de R$ 76 mil/mês , R$ 912 mil/ano e R$ 1.824000,00 no biênio seguinte aos cofres da Câmara Municipal. A manobra foi uma tentativa de sangrar Dudu antes mesmo que o presidente eleito Dudu Diniz (Cidadania).

Jesus nos diz no Evangelho: “Não podeis servir a Deus e ao dinheiro” (Lc 16,13). Judas servia a Deus, mas, queria também servir ao dinheiro. E quando o amor ao dinheiro entra no nosso coração, ele o governa. Ninguém consegue servir a Deus e ao dinheiro, tenhamos isso como princípio de vida. A Irmã rasgou as Escrituras Sagradas…

O vereador Jordão Reis (PTB) subiu na tribuna, rechaçando a proposta indecorosa de aumento de verba de gabinete sugerido pela presidente, de R$ 8 mil para R$ 12 mil, além do aumento do faz-me rir. J. Lindoso, não confundir com melindroso, ainda aparteou o colega mas não conseguiu convencer com uma sequência lógica de pensamentos.

O grupo ‘Avança Ribamar’ meteu o pé na porta e foram contra ao aumento, batendo de frente contra os interesses da base de sustentação do prefeito, que vai sofrer resistência após a posse do novo presidente da Casa de Leis Ribamarense. O que foi planejado sem combinar com a maioria da Casa foi tentar fazer do próximo presidente um Tiradentes, já enforcando o geógrafo.

Irmã Nalva, Francimar, Juliano, Cristiane Dourado, Serra Alta, Marlene, J Lindoso, Cloves, Elisa Lima e João Carlos são os que querem o “agrado”.

Os demais são contra, mesmo que “intimamente” sejam a favor…

ERRO GRAVÍSSIMO

Em sua argumentação, a vereadora simplesmente incinerou o ordenamento jurídico brasileiro. À luz do Tribunal de Contas, a verba é destinada à cobertura de despesas de custeio dos gabinetes dos parlamentares, não se constituindo em gastos da pessoa do vereador e sim destinada a custear as despesas próprias do gabinete.

Nalva, que não tira um tempo para se debruçar sobre assuntos do tipo, chama a atenção de órgãos que fiscalizam o caminho do dinheiro do povo, ao propor o uso do dinheiro para a compra de cestas básicas.

As notas fiscais dos gastos de vereadores, com este dinheiro de verba de gabinete, deve ser apurada.

Como manda o bom Jornalismo, o site tentou uma resposta da vereadora, sem sucesso.

O espaço sempre estará aberto.

Veja:

 

 

Comentários

Comentários

author-avatar

Sobre Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog

AQUI