Política

Vídeos e áudios: criança com paralisia cerebral é colocada em situação constrangedora em Ribamar e Mãe reage ‘à altura’; médico alertou sobre colapso na saúde

20 de setembro de 2022

Invisíveis sociais sentem, na pele, o destrato do poder público.

Na manhã desta terça-feira (10h), uma moradora do Turiúba, defendendo seu filho que tem paralisia cerebral e precisava de um atendimento especializado com unhas e dentes – como faria qualquer Mãe que ame seu filho – e agindo sob forte emoção, deixou externar a sua insatisfação com a ausência do serviço que deveria ser prestado pela gestão Dr. Julinho (PL). Afinal, recursos são enviados mês a mês pra que as Prefeituras promovam, em tese, o bem-estar social, uma vez que o ente público tem a função de agente da promoção social.

Antes que os “juízes de redes sociais” façam a “dosimetria da pena”, deve-se, ao assistir os vídeos, refletir sobre o contexto social onde estão inseridos a Mãe e a criança. A essa altura, não há inteligência emocional que se sobreponha ao provável nível de estresse a que foi [e vem] sendo submetida a moradora do município.

Será que a gestão aparelhou serviços essenciais só para aliados? 

Segue relato repassado ao blog, Ipsis verbis:

O que aconteceu foi o seguinte: o motorista se recusou a fazer duas viagens para levar duas crianças especiais para tratamento. A dona (nome suprimido) que “depredou” o carro ficou desesperada, pois o motorista queria que ela levasse o seu filho no seu colo, sendo que é obrigatório que a criança seja transportada em cadeira especial no banco traseiro e a cadeira de rodas na mala. Por esse motivo, o motorista se recusou, pois queria levar todo mundo de uma vez e deixar o marido da dona (nome suprimido), sendo que é exigência da médica responsável que o pai da criança esteja presente no tratamento frequente da “criança especial” no Hospital Sarah, APAE e Casa Ninar, em São Luís.

E complementa:

“A mesma dona (nome suprimido) relatou que já teria levado o filho dela no colo, mesmo sendo um transporte irregular, pois teria sido obrigada pelo motorista. Nesse dia a criança, que sofre de paralisia cerebral, teve uma convulsão dentro do veículo quase vindo a óbito”.

Áudios

Áudios obtidos pelo blog, sendo um de um médico que trabalhou [pretérito perfeito] em Ribamar, apontam para uma espécie de “enxuga” em um dos calcanhares de Aquiles de qualquer gestor, ainda mais sendo ele um médico: a Saúde. Há um burburinho de funcionários da pasta, que preferem o anonimato temendo retaliações, de que até fraldas estariam, supostamente, sendo reduzidas de 10 pra 5. As necessidades fisiológicas que esperem…

A Mãe da criança deu entrevista a programa de rádio, onde explanou como tudo aconteceu.

Os vereadores devem comentar o caso na próxima sessão da Câmara de Vereadores.

O que diz a Mãe?

A página manteve contato com a Mãe do menor que afirmou que a Polícia esteve em sua casa horas após o acontecido, numa suposta tentativa de intimidação. Desempregados, ela e o marido não sabem como levarão a criança amanhã, 21, para acompanhamento no Hospital Sarah. Conforme relatado pela Mãe, já sente que daqui pra frente poderá sofrer perseguição.

Ouça com EXCLUSIVIDADE!

Veja e ouça:

Comentários

Comentários

author-avatar

Sobre Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog

AQUI