Política

Axixá: A rabeta perdida…

18 de Maio de 2021

A cantora gospel Damares featuring  Thalles Roberto lançaram, em 2013, a faixa “A Dracma e o Seu Dono”, que aborda a Parábola da Dracma Perdida. Esta parábola é parte de uma trilogia sobre a redenção que Jesus conta depois que os fariseus e os líderes religiosos o acusam de receber e compartilhar suas refeições com “pecadores”. As outras duas são a Parábola da Ovelha Perdida e a parábola do Filho Pródigo.

Em Axixá, há a Parábola da Rabeta Perdida, a qual passaremos a dissertar, agora:

Reza a lenda que, no Município de Axixá. chegaram algumas (?) rabetas – barcos motorizados de alumínio. Uma dessas se tornou a Rabeta Perdida. De acordo com a lenda, a rabeta mudou de cor, ficando preta. A pintura aconteceria no Município de Rosário. Antes disso, os motores das respectivas rabetas – encaminhadas por um órgão à cidade -, conforme a lenda, foram guardados num “quartinho”, próximo a uma famosa residência fina da cidade. A Rabeta Perdida foi encoberta e, na calada da noite, segundo a lenda, enviada – por terra – para uma luxuosa extensão de terra da baixada maranhense.

Assim como o Éden tinha o fruto proibido, um conhecido Jardim da cidade escondia “frutos proibidos”.

A pintura, para mascarar a Rabeta Perdida, foi feita numa conhecida rua de Rosário. Segundo repassadores da lenda, o portão é da casa ainda é de madeira.

O que se sabe é que, até hoje, a lenda toma de conta das ruas de Axixá. E, segundo dizem, envolve uma personalidade política que é muito famosa, também, na internet.

Voltaremos com novos causos.

Aguardem…

Comentários

Comentários

author-avatar

Sobre Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog