Política

VÍDEO – Edivaldo Holanda abandona a educação

ALAGAMENTO | Professores denunciam abandono da Escola Municipal Zuleide Bogea

Professores que trabalham na UEB Zuleide Bogéa, no Bairro Vera Cruz, denunciam a situação de abandono da unidade escolar. Em dias de chuva, a escola fica toda alagada em razão de goteiras e infiltrações. Segundo os educadores, que solicitaram uma visita do Sindeducação à escola, o teto está comprometido e a comunidade escolar teme o pior. Nos últimos dias a situação se agravou, em razão de um alagamento de todo o prédio, com a perda de equipamentos eletrônicos, livros e materiais didáticos.
Os profissionais também denunciam que dezenas de ofícios já foram remetidos para a Secretaria de Educação – SEMED, informando toda a problemática estrutural da unidade, mas até o momento não obtiveram resposta. “A única resposta que nós sabemos, extraoficialmente, é que tem uma reforma aprovada para a escola, mas ela nunca começa”, protesta uma educadora.
Em razão das chuvas que ocorreram ao longo dessa semana, documentos, materiais didáticos e livros foram perdidos. “O reboco de muitas paredes está caindo, e temos utilizado TNT para encobrir e amenizar a aparência decrépita das salas de aula. Estamos fazendo as matrículas de forma manual e no escuro, pois o computador também molhou e não ligou mais”, desabafou uma professora que não quis se identificar.
A escola dispõe de quatro salas que funcionam creche, Educação Infantil I e II, nos períodos matutino e vespertino, mas está com todas as lâmpadas queimadas, banheiros inadequados para utilização das crianças. A UEB Zuleide Bogéa não tem área para recreação das crianças, não possui refeitório, biblioteca, e também não dispõe de Sala do Professor. “O prédio onde estamos instalados na verdade não tem estrutura para funcionar uma escola da Educação Infantil”, frisa outra professora.

A professora Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação, comentou as denúncias, e disse que a entidade sindical tem levado ao conhecimento não apenas da sociedade e Ministério Público, mas da Secretaria de Educação, colaborando na fiscalização dos prédios, com o intuito de cobrar do Município um plano preventivo de reforma dos espaços escolares. “É uma luta constante, e nos últimos quatro anos as condições físicas das unidades escolares têm piorado bastante, apesar dos repasses crescentes de verbas ao Município de São Luís”, aponta a líder sindical.

O repasse do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB) para a Prefeitura de São Luís, em 2019, bateu recorde e superou em R$ 34,3 milhões a estimativa feita pela Confederação Nacional dos Municípios – CNM. De janeiro a dezembro, a Capital maranhense recebeu R$ 385,5 milhões de reais do FUNDEB, que representa um crescimento de quase 10% na receita em relação aos cálculos da confederação dos municípios.
Na série histórica São Luís recebeu R$ 327 milhões de FUNDEB em 2017, e em 2018 foram outros R$ 352,6 milhões do maior fundo de financiamento da Educação Pública brasileira, repassados aos cofres da atual gestão.
Veja:

Comentários

Comentários

Conheça o Neto Cruz

Contador (CRC/MA 012900), Jornalista (DRT 1792/MA), Acadêmico de Direito, Membro Fundador e Efetivo da Academia de Letras de Paço do Lumiar . Criou o Blog do Neto Cruz em 29 de Novembro de 2010. E-mail: [email protected] Instagram: @netocruz_doblog