Wellington cobra explicações sobre obras paradas da maternidade da Cidade Operária

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

A maternidade municipal da Cidade Operária era para ter sido inaugurada no último dia 25 de junho, passaram-se um ano, e a maternidade nunca foi construída. O deputado Wellington do Curso voltou a cobrar da Prefeitura de São Luís, na última terça-feira, 28, na tribuna da Assembleia Legislativa.

A maternidade que seria um sonho para atender milhares de mães, só está no papel. Wellington ressaltou o descaso do dinheiro público em mais de R$ 25 milhões.

“Os moradores da Cidade Operária estão tristes com essa situação. No último dia 25, era para ter sido inaugurada uma maternidade de 25 leitos, inclusive orçada em 25 milhões de reais, temos aqui a transferência dos recursos para o município, convênio de 24 milhões de reais, mais de 3 milhões já foram liberados. No local, só existe mato, lixo e tapumes cercando a obra inacabada”, lamentou Wellington do Curso.

A placa da obra que existe no local aponta que a maternidade seria inaugurada no último dia 25. A obra traria um benefício para as mães e crianças de 132 leitos, destes, 100 de internação e 20 de UTI’s.

Moradores denunciaram para o deputado a falta de respeito do prefeito Edivaldo Holanda Junior com os moradores da Cidade Operária.

“É lamentável receber informações dos próprios moradores do bairro, dizendo que o Prefeito agiu com desrespeito com os mesmos, em ir ao mesmo dia ao bairro com uma alegoria, inaugurar ruas, com um asfalto de péssima qualidade, onde em alguns lugares, o asfalto já está soltando, o asfalto “sonrisal” e a comunidade do eixo da Cidade Operária, se perguntando: cadê a maternidade de 25 milhões de reais? Cadê a creche da Cidade Operária?”, interrogou Wellington.

Wellington do Curso concluiu sua fala solicitando ao Ministério Público que apure as possíveis irregularidades na execução das obras de construção da maternidade, tendo em vista que se trata de verba federal.

Comentários

Comentários