Fundação com acervo de Sarney foi reaberta, diz governo do MA

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

O governo do Maranhão informou que a sede da FMRB (Fundação da Memória Republicana Brasileira), que abriga o acervo do ex-presidente José Sarney (PMDB), foi reaberta ao público na tarde desta quinta-feira (22).

A instituição, que funciona no Convento das Mercês, construção de 1654 no centro de São Luís, estava fechada desde a última sexta-feira (16), após a exoneração de seus 48 funcionários.

No domingo (18), o governo havia prometido dar continuidade às atividades desenvolvidas no museu no dia seguinte, mas o convento continuou fechado.

A reabertura, segundo o secretário da Comunicação Social, Robson Paz, aconteceu às 13h30. Ele informou que o governo renomeou nove monitores, dois agentes de limpeza e um recepcionista que trabalhavam no local, “além de manter equipe de quatro profissionais de serviços gerais” de uma empresa privada.

Além do museu da memória republicana, que exibe o acervo de Sarney, serão reabertas as exposições “Cadê a Química?”, “Porto do Itaqui” e “360 anos do Convento das Mercês”.

A fundação

A FMRB é uma estatal criada pela então governadora Roseana Sarney (PMDB), filha do ex-presidente, em 2011, e se tornou alvo de disputa entre o governo de Flávio Dino (PC do B), que tomou posse neste mês, e aliados do peemedebista.

Nesta semana, Dino instituiu uma comissão para discutir novos rumos para a entidade, que, segundo o governador, não pode utilizar um bem público para “guardar o patrimônio de uma família [Sarney]”. Também nomeou um administrador para o convento.

A ex-secretária da Casa Civil de Roseana, Anna Graziela Costa, renunciou nesta quarta (21) à presidência da fundação depois que policiais militares impediram sua entrada na sede do órgão.

Comentários

Comentários